Arquivo da categoria: 1990 – “Dance bem”

“Vale tudo”

Não conheço esse tal de Fábio Madu, mas esse vídeo caiu bem pra começar esse post (acho que era promoção pra ganhar a coleção da Abril)

Tim Maia e Sandra de Sá gravando juntos "Vale tudo" (foto da contracapa do disco)

Tim Maia e Sandra de Sá gravando juntos “Vale tudo” (foto da contracapa do disco)

Em 1983 Tim escreveu mais um grande sucesso, mas não era pra ele, o hit foi feito pra sua fã e nova revelação da música brasileira: Sandra de Sá.

Chamada pela imprensa de “Tim Maia de saias”, Sandra de Sá nem acreditou quando lhe contaram que seu ídolo havia escrito uma música para ela. E mais, Tim Maia do Brasil ainda daria uma palhinha nos vocais.

“Vale tudo” foi o grande hit do terceiro disco de Sandra (1983) e até deu nome a ele. Rendeu ainda um clipe para o “Fantástico”, ambientado numa festa cyber-punk-funk-disco-sado-maso-futurista. Confira:

Como o programa da Rede Globo cortou boa parte da música, quem quiser escutar a versão inteira:
Obs.: Esse defeitinho na introdução está presente em todos os downloads/youtubes atuais dessa versão. Quem achar a música sem ele, favor nos passar.

A música só foi aparecer num disco de Tim em 1990, para o álbum “Dance bem”:

No disco “Ao vivo”, lançado  em 1992 (gravado no mesmo ano, no Olympia, São Paulo/SP), “Vale tudo” aparece duas vezes, abrindo e fechando o show:

Em 1995 Sandra de Sá faz sua primeira regravação. Nesse mesmo ano Tim Maia também lança uma versão em estúdio. Ela para seu álbum “Olhos coloridos” e ele para o “Nova Era Glacial”. Ambas as versões deixando bem a desejar, com uma levada bem menos animada:

No “Ao vivo II” de 1998 (mesmo show gravado que virou o DVD “Tim Maia ao vivo – Pra sempre” lançado em 2001), “Vale tudo” também aparece duas vezes, no meio e no final. Nesse primeiro vídeo, ponha em 4’58”:

Clique aqui para ver o show inteiro.

Em 2004, Sandra de Sá lança seu primeiro trabalho ao vivo, “Música Preta Brasileira”. Lógico que uma das músicas mais importantes se sua carreira não ficaria de fora:

Nos outros 2 trabalhos ao vivo de Tim (ambos também viraram DVD), “Vale tudo” também aparece:

2005“Programa Ensaio – 1992”:

2007“In concert”:

O título do livro de Nelson Motta também é uma referência direta a essa música. Lógico,  ao mesmo tempo que faz uma analogia ao estilo de vida do biografado.

Já a novela homônima de 1988, segundo a Rede Globo, não era referência ao seu sucesso. Tim Maia não teve dúvida: processou a emissora por uso indevido do título. “Quando soube que a novela ia se chamar ‘Vale tudo’ até pensei em colocar minha música no fundo. Mas não me chamaram, só me chamam para gravar o ‘Globo de Ouro’ de graça. Sou amicíssimo do Cazuza [cuja música ‘Brasil’ foi escolhida para abertura na voz de Gal Costa], mas o certo era colocar a minha música, mas na Globo vale tudo mesmo, mais até do que na novela. (…) Só quero um levado pelo meu título, não quero ser co-autor de nada. Quero mais é que o mar pegue fogo pra eu comer peixe frito.”

Letra:

A letra, desde aquela época, foi polêmica nacional. Se engana quem acha que ela é discriminatória. “Só não vale dançar homem com homem, nem mulher com mulher” tem outro sentido, veja o que diz o produtor e amigo pessoal de Tim, Júnior Mendes:

Fora que desde a primeira versão, Tim deixa claro no final: “E atenção, atenção: Foi dada uma nova ordem! Liberou geral! Agora vale tudo!”. Ao vivo era mais explícito ainda: Ao invés de cantar “Só não vale (…)”, cantava “Também vale (…)”. Confira (de novo) no segundo “Vale tudo” do disco “Ao vivo” de 92:

Sandra de Sá, para o programa “Refrão” da TV Justiça, também falou sobre a letra: “(…) o início da música é uma provocação realmente (…) e no final, [tem] aquele toque sutil: Ó liberou geral, se liga que tá valendo tudo”. Confira a entrevista na íntegra:

A letra base é essa abaixo, mas para cada versão acrescente várias frases soltas, jargões-tim-maia e gargalhadas:

Vale, vale tudo
Vale, vale tudo
Vale o que vier
Vale o que quiser

Só não vale
Dançar homem com homem
Nem mulher com mulher,
O resto vale

Mais “Vale tudo”:

1989 – Tim Maia especial da Rede Globo

1987 – Tim Maia na passagem de som para o programa “Chico & Caetano” (que ele não apareceu):

2010 – Sandra de Sá no seu show “AfricaNatividade”:

Tem também duas versões sofríveis que fizeram pós sua morte para as coletâneas “Soul Tim”:

1999 – Coletânea “Soul Tim”:

2004 – Coletânea “Soul Tim – Duetos” com Pepe e Neném:

Download:

1983 – Sandra de Sá – “Vale tudo”;
1990 – Tim Maia – “Dance bem”;
1992 – Tim Maia – “Ao vivo”;
1995 – Sandra de Sá – “Olhos coloridos”;
1995 – Tim Maia – “Nova Era Glacial”;
1998 – Tim Maia – “Ao vivo II”;
2004 – Sandra de Sá – “Música Preta Brasileira”;
2005 – Tim Maia – “Programa Ensaio – 1992”;
2007 – Tim Maia – “In concert”.

Enquete:

Anúncios